8 de mar de 2012

A Arte de Fazer Sabões - parte 5



Como já conversamos em outros tópicos,para fazer um sabão artesanal equilibrado é necessário observar determinados fatores referentes a dureza, espuma com sua persistência, limpeza e condicionamento sem esquecer do índice de iodo que garante  durabilidade ou  a data de validade do nosso produto.

Sendo assim, coloco, baseada em  pesquisas na internet e comprovadas com minhas experiências,uma síntese dos principais ácidos graxos que fazem parte da composição das gorduras e que após a saponificação, são os responsáveis pelas propriedades físicas do sabão artesanal.

índice de iodo - Através do seu valor,determinamos o teor de ácidos graxos insaturado, ou seja, os que possuem facilidade à rancidez oxidativa.
Quanto mais alto o índice de iodo mais rápida é a degradação do óleo.
O valor obtido na receita de um sabão deve ser inferior a 70.

dureza - essa propriedade ajuda a manter a durabilidade do sabão assim como facilita a adição de aditivos sem deixar o sabão ficar mole ou dissolver mais  rápido.
ácidos graxos relacionados com esse fator: 

ácido láurico,ácido mirístico,ácido palmítico,ácido esteárico.

espuma e sua persistência - essas duas  propriedades definem quanto e que  tipo de espuma o sabão terá,ou seja, espuma cremosa com bolhas pequenas, espuma farta com grandes bolhas ou espuma fraca, quase sem fazer bolhas.
ácidos graxos relacionados com esses dois  fatores: 

ácido láurico,ácido mirístico, ácido ricinoleico ( só encontrado no óleo de rícino), ácido palmítico,ácido palmitoleico,ácido esteárico.

limpeza - a propriedade de remover sujidades da pele.

Aqui, um esclarecimento:
O poder de limpeza é maior devido ao aumento de interações realizadas com as sujidades.
A molécula que constitui o sabão pertence à função química sal; logo, possui pelo menos uma ligação com característica tipicamente iônica, e, portanto, polar. Essa polaridade, bem como o tamanho da cadeia carbonada apolar, possibilita que o sabão se dissolva em substâncias polares e  apolares e até mesmo em ambas simultaneamente. 
É essa propriedade que atribui ao sabão seu poder de limpeza, isso ocorre devido a formação de ligas intermoleculares entre a sujeira e a parte apolar da molécula do sabão (parte hidrofóbica),ocorrendo a formação de micelas solúveis em água e dessa forma eliminando a sujeira da superfície. 
Assim, quando realizamos a limpeza de uma superfície, auxiliamos a atuação do sabão ao esfregarmos essa superfície, no caso, a pele.

ácidos graxos relacionados com esse fator:

ácido láurico,ácido mirístico principalmente.Em menor intensidade alguns ácidos de cadeia curta, como o ácido caprílico e cáprico que também ajudam na solubilidade além de possuir característica fungicida.

condicionamento - é a propriedade de trazer emoliencia e suavidade a pele.
ácidos graxos relacionados com esse fator: 

ácido ricinoleico,ácido oleico, ácido linoleico, ácido linolenico.


As proproções ideais desses ácidos estão diretamente relacionadas com as características que pretendemos para o nosso sabão,somadas aos aditivos que colocaremos e que irão potencializar nossas pretenções quanto às qualidades do nosso produto.

Embora esteja presente nos demais tópicos da série "A Arte de fazer Sabões" que coloco links no final e que esse tópico esteja relacionado diretamente ao estudo da receita do sabão artesanal com seus respectivos cálculos, é sempre bom lembrar que, para fazermos um sabão, seja o mais simples possível, devemos usar o material básico de segurança,relacionado abaixo, pois estamos lidando com bases alcalinas - NaOH e KOH que são altamente corrosivas, podendo causar sérios danos.

MATERIAL DE SEGURANÇA NECESSÁRIO:
.óculos protetor
.luvas de borracha grossa ( adequadas para substâncias corrosivas)
.máscara contra gases e névoa
.roupa adequada que cubra os  braços para evitar possíveis respingos
.meias ou sapatos fechados para proteger os pés de possíveis respingos
.ter à mão vinagre ( com a embalagem já aberta) para uso imediato , caso ocorra algum incidente com a soda cáustica ou potassa, lembrando que é muito importante  trabalhar em ambiente ventilado.

COLOCAR SEMPRE A SODA/POTASSA NA ÁGUA, NUNCA AO CONTRÁRIO, LENTAMENTE, PARA EVITAR O EFEITO “VULCÃO”.



13 comentários:

texia disse...

Hola Sonia, muchas gracias por esta informacion, siempre necesaria.
Besos

Lissy disse...

Guapa !!!!
SUPER LINDOS !!!!!
me encantan ...los colores son muy alegres un jabón super bello :D
Saludos de Lissy

http://lissylmbl.blogspot.com/#es

flor da pele disse...

Olá Texia e Lissy.
Obrigada pelas visitas e carinhosos comentários.
Besos a las dos.

Jabón y agua disse...

Sonia, Muchas gracias por esta serie que estás publicando, este último es muy interesante porque nos facilita entender como se comportan los ácidos grasos en nuestros jabones.
Besos.

flor da pele disse...

Olá Maria,
Obrigada pela visita e comentário tão gentil.
Besos.

Emy Barraca disse...

Enhorabuena, tienes unos trabajos preciosos
y hechos con muy buen gusto

flor da pele disse...

Emy,
Obrigada pela visita e pelo comentário.
Volte sempre!
Besos.

OLIVIA disse...

Como siempre unas magnificas explicaciones Sonia!!

Besitos.

flor da pele disse...

Olivia,
Adoro suas visitas.
Gracias y besos.

Marta disse...

Que gran información Sonia, muy bien explicado, muchas gracias por ello.

flor da pele disse...

Marta,
Eres un sol!
Gracias y besos.

Julia disse...

Sonia, pasaba a saludarte y repasar tus posts.
Espero que estés recuperada.
Un abrazo fuerte.

flor da pele disse...

Olá Júlia,
Obrigada pelo seu carinho.
Besos.

Postar um comentário