26 de jun de 2012

Argila Aditivada

Venho utilizado diferentes argilas buscando, além dos seus próprios benefícios, um novo veículo para os ativos cosméticos nos meus produtos.
Agora, como estou estudando novas maneiras de adicionar e fixar  aromas naturais sem usar os queridos e amados óleos essenciais, resolvi testar dois tipos de argila no meu mais recente sabão para avaliar os resultados.
Separei as argilas que me interessavam por suas características e cores naturais, nesse caso, a argila roxa e a argila cinza e misturei com uma tintura já reduzida de um blend de aromas elaborado com diferentes tipos de sementes, folhas e resinas e que, com muita paciência, ficou macerando por seis meses.


detalhe da mistura das argilas com a tintura de aromas  

Depois da mistura estar bem homogênea, coloquei sobre filme plástico PVC e com uma espátula, procurei manter uma espessura fina e homogênea.





Em uma primeira etapa, deixei secar, cobrindo parcialmente com uma bandeja buscando potencializar o aroma e depois, já com o aroma fixado, retirei a cobertura e deixei secar naturalmente.



detalhe do mix de argilas já aromatizado
Amassei ligeiramente com o pilão o mix de argilas buscando tamanhos diferentes de fragmentos, com pouca quantidade de pó para adicionar textura ao sabão além das próprias propriedades dessas argilas agora já aditivadas com os ativos e aromas extraídos dos vegetais.

O sabão, que ainda está no período de cura, será apresentado em uma próxima postagem.

sobre argilas aditivadas - aqui , aqui  e aqui


14 de jun de 2012

Sabão 3 Palmeiras


Sabão 3 Palmeiras - técnica mista - produto VEGAN

Sempre estudando e pesquisando mas com a liberdade de experimentar sem medo de errar, resolvi misturar, no momento de colocar a massa na forma, dois tipos de sabões, ou seja, um feito pela técnica do sabão batido e o outro feito com ponto de traço bem líquido.
Assim estaria trabalhando com dois tipos de texturas diferentes sem esquecer de manter nas respectivas receitas o mesmo índice de dureza para, depois do período de cura já ter se  completado, o sabão estar homogêneo e depois quando usado, se desgastar por igual.

Procurei unir, na receita do sabão batido, os óleos de 3 tipos de palmeiras:

.Babaçu (Orbygnia oleifera,ou O. martiana, ou nostrana, ou Attalea funifera):
de suas amêndoas se extrai um óleo rico em ácidos láurico (40-55%) e mirístico, apresentando também um percentual considerável de ác.palmítico, caprílico, cáprico,  esteárico e oléico. Proporcionando dureza, espuma abundante e ajudando no condicionamento do sabão.

.Palma(Elaeis guineensis)
dessa palmeira podemos extrair dois tipos de óleos, palma e palmiste.
O óleo de palma é extraído da polpa do fruto mas, para minha receita, usei o óleo de palmiste que é extraído das amêndoas, sua composição é rica em ác. láurico, mirístico, palmítico e oléico proporcionando propriedades similares ao óleo de babaçu.

.Tucumã ou Tucum (Astrocaryum aculeatum):  
originária da região Amazônica, dessa palmeira se extrai óleo da polpa do fruto e da amêndoa.Utilizei para essa receita o óleo extraído da polpa que é rico em ác. oléico e palmítico, além de possuir um alto percentual de β-caroteno quando in natura, proporcionando condicionamento além de  ajudar na dureza e espuma.

receita sabão 1 - método batido 

babaçu........................16%
palmiste ......................11%
tucumã ........................10%
maracujá .....................9%
amendoim ...................14%
manteiga de cupuaçu....19%
rícino...........................3%
manteiga de cacau........11%
estearina  vegetal..........5%
linhaça..........................2%
NaOH e água destilada  para um sobreengorduramento de 11% e uma concentração de 26% 

aditivos (percentagens sobre o peso total dos óleos)
gel glicólico de aveia,linhaça e sumo de romã - 3%
mix de óleos essenciais cítricos em tintura de candeia da Amazônia e benjoim - 5%

sobre a concentração, segui as recomendações da minha amiga Texia, do blog "Sanga Natural" que é uma especialista nesse método - sabão batido.

Minha receita ficou com 72% de gorduras saturadas e com um equilíbrio de ácidos graxos que proporciona um sabão com muita espuma, dureza equilibrada e um ótimo condicionamento.

receita sabão 2 - com ponto de traço líquido

babaçu........................16%
palma..........................24%
manteiga de karité...........5%
oliva ...........................43%
rícino...........................3%
girassol.........................6%
soja.............................3%
NaOH e água destilada para um sobreengorduramento (SE) de8% e uma concentração de 30% 
aditivos (percentagens sobre o peso total dos óleos):
o.e de lavanda  - 4%  
óxidos minerais verde e amarelo  - em 3 tons de verde , óxidos minerais que me foram presenteados por Ana Maria do blog "La Jaboneria de Ana" .

Obrigada Ana, adorei o resultado!

Quanto a experiência de misturar  um sabão batido com um sabão com ponto de traço bem líquido, até agora tudo deu certo como mostra a foto depois da barra de sabão já ter sido cortada e já estar completando um mês no processo de cura.Seu aroma cítrico está super agradável.


detalhes frente, verso e laterais do sabão


Acredito que o cuidado em bater bem o molde depois de cada camada de massa colocada foi suficiente para evitar os possíveis espaços sem preencher no interior do sabão ( minha maior preocupação).
Outros detalhes que ajudaram:
. a temperatura do dia , em torno de 25 graus.
. a preocupação de colocar os mesmos valores para o índice de dureza
. a preocupação de manter a mesma temperatura para as duas massas dos sabões.
.a  busca de um equilíbrio entre as concentrações das duas receitas para evitar que um sabão endurecesse muito depressa enquanto o outro sabão demorasse demais para endurecer. 
Abaixo, foto de uma amostra do sabão embalado de uma nova maneira, onde a pintura feita no papel também é aromatizada.
Detalhes dessa embalagem - aqui


detalhe embalagem utilizada nesse sabão

9 de jun de 2012

Uma nova maneira de...


  
Uma nova maneira de fazer as embalagens dos meus sabões e que está sendo muito agradável de executar pois está reunindo duas coisas que amo fazer: 

................sabões e arte...............

Baseado no famoso Papel da Armênia, resolvi preparar os papéis que servem como embalagem para meus sabões com tinturas feitas e usadas nos próprios sabões, desse modo, intensificando o aroma já presente no produto e, além disso, procurando manter o grafismo e as cores usadas no sabão.



Devo  confessar que me surpreendi com o resultado. :)
O papel que utilizei foi o papel de arroz, normalmente usado para a impressão de xilogravuras, ou seja, gravuras em madeira.
Minha experiência continua super perfumada, mantendo o aroma mesmo depois de vários dias. 

detalhe das tinturas usadas


Usei a técnica da aquarela para pintar, aplicando várias camadas e colorido suavemente com a principal cor usada no sabão.
Aproveitei a idéia e preparei o papel da etiqueta também dentro dessa mesma temática.

detalhe verso da embalagem


vídeo sobre o Papel da Armênia - aqui 
história do Papel da Armênia - aqui (em francês)
e aqui  ( em português)