21 de jan de 2012

Sabão de polpa de coco


processo frio - produto VEGAN 


É na polpa do coco (Cocos nucifera L.) , denominada copra, onde encontramos o maior percentual de  lipídeos dessa fruta tão saborosa.
O processo de extração da gordura do coco pode ser feito também de forma artesanal, como explico aqui mas, dessa vez, experimentei fazer diferente, ou seja, através da saponificação do óleo contido na copra já no processo da elaboração do sabão, como já fiz com outros ingredientes com alto teor oleoso e como costumo fazer com a polpa do abacate testada e aprovada e com explicações aqui.

Iniciei meu sabão elaborando a receita normalmente,colocando as gorduras que seriam utilizadas, incluindo o % de óleo de coco que está presente na polpa do coco e finalmente o álcool que, como sabemos, altera algumas das qualidades finais do sabão, inclusive reduzindo a espuma.
Definido a receita e o perfil do meu sabão, com os índices conforme meus interesses, parti para a segunda etapa,preparar uma tintura com a polpa do coco já que não queria utilizar a fibra do coco no sabão.

detalhe polpa do coco ( copra) - imagem google

Tintura de polpa de coco:

Por informações retiradas de artigos sobre o estudo da fruta coco ( Cocos nucifera L.), na existência de uma variante sobre o teor de lipídeos presente na polpa da fruta entre 54 e 30,4g, estipulei para minha tintura, um valor médio de 42,2g de óleo de coco presente em cada 100g de polpa, e finalmente calculei o peso necessário de polpa para atingir o peso de óleo de coco colocado na minha receita.
Acrescentei o álcool de cereais, considerado por alguns um solvente bipolar e completei com a água do próprio coco, que cobriu totalmente a polpa já triturada ( caso não cobrisse, acrescentaria água destilada para completar, mas nesse caso não foi necessário).
Temperei a tintura com cascas de laranja e limão siciliano e alguns poucos cravos.
Após transcorrido o tempo de maceração (40 dias), como não queria utilizar a fibra da fruta, expremi a tintura em pano de algodão esterilizado,  obtendo um líquido bem gorduroso e leitoso com um aroma realmente diferente e exótico.
A fibra do coco foi aquecida em banho-maria para liberar o restante do óleo de coco que foi separado e finalmente acrescentado à tintura que ficou em pote aberto para reduzir parte do álcool utilizado.

composição do sabão de polpa de coco:

saponificação dos óleos de coco (presente na polpa do fruto), palmiste orgânico, milho, rícino,cera de copaíba e ác. esteárico vegetal.
aditivos: tintura reduzida de polpa de coco ( contendo o óleo e a água da polpa da fruta e parte do álcool temperado com especiarias), dióxido de titânio, vit.E, mix de extrato glicólico antioxidante com o. essenciais de laranja, cravo, limão siciliano e lavandim.
Decorado com raspas de sabão 100% oliva colorido com argila rosa.








18 de jan de 2012

Avaliação Internacional II


Recebi um delicado convite de Júlia, uma saboeira espanhola que possui um maravilhoso blog,  "Soap Artists" , onde comenta  suas experiências, usando sempre um sincero relato acompanhado de maravilhosas fotos, sobre diversos sabões artesanais, esses, elaborados por vários autores.
Recomendo a visita a esse encantador blog!

Enviei  03 dos meus sabões: Sabão de Mirra e Olíbano , Sabão 10+ 5 e Sabão de Polpa de Coco ( próxima postagem), incluindo também o Sabão de Sal edição especial e o Mousse de Ucuúba e Argilas aditividas , dando oportunidade à Júlia de conhecer, um pouco melhor,  os produtos flor da pele.

Tive o cuidado de avisar que as diferenças climáticas, no momento bem acentuadas, principalmente com relação a temperatura e umidade, além das variantes da água local, poderiam alterar algumas das propriedades dos meus produtos que normalmente são elaborados para peles que exigem um índice de umectação e hidratação relativamente menor comparado aos necessários para tipos de pele que sofrem as consequências de invernos mais rigorosos.

Júlia, escolheu o Sabão 10+5 para comentar com mais profundidade e, com sua experiência, entendeu e soube avaliar os resultados obtidos deixando sinceramente claro que, principalmente agora, em pleno inverno europeu, após utilizar esse sabão, precisa de um complemento hidratante para sua pele ficar como ela gosta.
Gostaria que o sabão tivesse atingido o grau de umectação e hidratação que a pele da minha querida avaliadora necessita no momento mas, isso trouxe um bom motivo para criar, em breve, um novo sabão extremamente umectante, algo que ultrapasse o padrão considerado hidratante para a maioria das brasileiras.

Sua consideração sobre os aromas dos meus produtos foi muito gratificante pois, tenho me empenhado muito no quisito fixação e, constatar através de um novo depoimento que a pele, após o uso dos meus sabões, fica com um suave e natural aroma de plantas e ervas e tudo de bom! 

Abaixo coloco um trecho da sua postagem:

" Y los aromas, ya saben que son un punto débil que padezco, me sentí algo extrañada, porque no son pastillas que huelan en exceso. Como siempre digo en estos casos, huelen bien, pero no de forma chispeante o penetrante, no hay un olor que predomine entre los demás. Huelen a campo, a esas tiendas de productos naturales en las que cuelgan ramitas de tomillo y lavanda, a madera, a herboristería... ¿cómo se describen los olores de un jabón?, cada vez me resulta más difícil. 
Perooooo algo sucede al lavarte con estas pastillas, y es que un suave aroma queda en la piel después del lavado, un olor muy agradable, como el que queda cuando pasamos la palma de la mano sobre hierbas aromáticas, pero más ligero.
En este aspecto, les aseguro que los utilizaría también para los niños de la casa."


Para quem quiser conhecer meus produtos através de um outro olhar, passe aqui.
Agradeço à Júlia tudo de bom e maravilhoso que foi colocado em sua postagem sobre os produtos  flor da pele , além das incríveis fotos apresentadas.

Júlia, te mando muchos besos con cariño desde Brasil  :)







9 de jan de 2012

A arte de fazer sabões - parte 3

   flor da pele

 Depois de receber vários emails pedindo informações sobre cursos e aulas individuais para o aprendizado da arte de fazer sabões resolvi reunir informações, algumas já postadas nesse blog, colocando um breve resumo com o básico de como iniciar nesse mundo mágico e tão delicioso do sabão artesanal.

As pessoas que normalmente me procuram ou procuraram já sabem que não costumo fornecer receitas prontas mas, tento ajudar, aos realmente interessados, em como formular sua própria receita,visando a elaboração de um sabão com as qualidades e propriedades adequadas para os objetivos de cada um.
As calculadoras online específicas para sabões facilitam muito,fornecendo tanto os pesos corretos de soda cáustica / potassa como também da água para o mix de óleos escolhidos, além de nos informar os índices de iodo ( que nos indica principalmente a durabilidade em decorrência do fator oxidação) , de dureza, de espuma com sua persistência, de limpeza e finalmente de condicionamento que darão, em conjunto com as propriedades dos aditivos colocados na receita, o perfil final do sabão.
Costumo recomendar a Calculadora Mendrulandia por, além de possuir versão em português, ter a grande maioria dos óleos disponíveis com suas composições o mais semelhantes possíveis às dos óleos encontrados aqui no Brasil ( embora, não apresente ainda certos óleos brasileiros tão maravilhosos e que aportam tantas propriedades).
Alguns desses óleos diferenciados podem ser encontrados em outras calculadoras para sabões online, como ucuúba, murumuru,buriti,etc mas, é sempre importante analisar as respectivas composições de ácidos graxos fornecidas pelos sites dessas calculadoras para compararmos com a composição dos óleos que possuímos pois ,muitas vezes, são  óleos com composições bem diferentes das encontradas nos óleos que compramos aqui no Brasil, o que nos acarreta erros nos cálculos de soda cáustica ou potassa, fazendo uma grande diferença no resultado final do sabão que pode, inclusive, acabar muito alcalino, por excesso de soda cáustica ou potassa.
Então, para incluirmos, com total liberdade de escolha, os óleos que temos disponíveis e formularmos nossos sabões com nossa marca e qualidade, precisamos também saber fazer nossos cálculos à mão.( isso será um assunto que tratarei em uma próxima postagem)

Itens básicos para entrarmos nesse mundo colorido das bolhas de sabão.

Primeira etapa:
Como coloquei em duas das minhas primeiras postagens :
A arte de fazer sabões I 
A arte de fazer sabões II

MATERIAL DE SEGURANÇA NECESSÁRIO:
.óculos protetor
.luvas de borracha grossa ( adequadas para substâncias corrosivas)
.máscara contra gases e névoa
.roupa adequada que cubra os  braços para evitar possíveis respingos
.meias ou sapatos fechados para proteger os pés de possíveis respingos
.ter à mão vinagre ( com a embalagem já aberta) para uso imediato , caso ocorra algum incidente com a soda cáustica ou potassa, lembrando que é importante  trabalhar em ambiente ventilado.


MATERIAL BÁSICO NECESSÁRIO:
1.utensílios:
.balança de precisão ( 1g até 3 ou 5kg)
.vasilhas de plástico resistentes a altas temperaturas ou vasilhas de aço inox ( alumínio não serve)
.colheres de plástico resistentes a altas temperaturas, espátulas de silicone, colheres de aço inox.
.peneiras de tamanhos variados de plástico, silicone ou aço inox.
.mix manual de aço inox ou revestido de silicone
.mix elétrico com duas velocidades ( ideal)
.forma de plástico, madeira,etc mas sempre forrada com plástico grosso ou EVA, para facilitar a retirada do sabão ( as formas de silicone não precisam de forro mas devem ser colocadas dentro de um suporte para evitar acidentes , derramando a massa que é bastante cáustica nesse momento).

2-ingredientes:
. ter a cópia da receita à mão e separar todos os ingredientes já pesados, inclusive os que serão usados no final da receita pois é exatamente no final que, muitas vezes, temos que agir com rapidez,sendo impossível procurar ou pesar o ingrediente que está faltando.

.diluir nos respectivos solventes os aditivos que precisarem ser dissolvidos.
1.aditivos solúveis em água já diluídos em pequena porção de água destilada ou hidrolatos ( o líquido utilizado deverá ser descontado do peso da água da receita)
2.aditivos solúveis em óleo já diluídos em pequena porção dos óleos da receita (a gordura utilizada deverá ser descontada do peso total das gorduras da receita).

.preparar o mix de essências ou óleos essenciais já com um aditivo que ajude a fixar aromas, como tintura de benjoim e extratos glicólicos.( essa etapa é recomendável fazer com 24h de antecedência)

.estar com todo o equipamento necessário já arrumado, como:  colheres, vasilhas, balança digital, medidores incluindo também cópia da  receita escolhida e o molde já forrado e untado com óleo vegetal para facilitar.

Preparando a massa do futuro sabão:

Seguindo os pesos calculados na receita, preparar a solução de soda cáustica+ água, SEMPRE A SODA CÁUSTICA COLOCADA SOBRE A ÁGUA, NUNCA O CONTRÁRIO, mexendo sempre delicadamente com uma colher até dissolver totalmente a soda ou potassa, enquanto as gorduras, também já pesadas, são aquecidas em banho-maria.
Essa mistura (soda+água) também chamada de lixívia, inicialmente aquece bastante chegando próximo a 90°C, dependendo dos fatores climáticos, logo essa temperatura vai baixando até alcançar o ideal que, conforme os ingredientes usados ( como leites vegetais ou animais), deve ficar em torno de 35°/40°C, ou seja, deve ficar com uma temperatura adequada para nossa receita de sabão.
As temperaturas das gorduras e da lixívia devem estar próximas, com um ou dois graus de diferença, no máximo, para formarem facilmente um mistura homogênea.

Alguns fatores ajudam a determinar a temperatura ideal para trabalharmos, sempre ligados à temperatura ambiente, aos ingredientes que serão utilizados no sabão, ao ponto de traço que queremos obter - fino ou encorpado, etc

detalhe elaboração massa sabão
Em seguida, colocamos delicadamente a lixívia sobre o mix de óleos e, inicialmente,  misturamos com uma colher ou o mix manual para depois, se preferirmos, usarmos o mix elétrico até alcançarmos o ponto de traço, que fica determinado pela marca deixada na superfície da massa e que pode ser quase imediato ou demorar 20 min ou mais em decorrência dos fatores já mencionados acima.

Nessa etapa é aconselhável pararmos de bater por alguns minutos para termos certeza que o ponto de traço é real e que a mistura continuará homogênea.

Depois, acrescentamos os aditivos, que são os ingredientes que darão personalidade ao nosso sabão, tranformando um sabão artesanal em um maravilhoso tratamento corporal que além de limpar, desintoxicar e revigorar, acrescentam ativos que impedem a perda de água, hidratando, além de outras substâncias que trazem proteção, perfume e maciez à pele.

Aditivos como:
extratos glicólicos, tinturas e macerados oleosos ( esses descontados do peso total dos óleos/gorduras da receita) que transportam toda a magia e propriedades dos vegetais, vitaminas, argilas com suas cores que além de trazerem beleza ao sabão acrescentam novas qualidades cosméticas, óleos essenciais que perfumam além das  inúmeras características próprias de cada um incluindo ação bactericida e fungicida e elementos exfoliantes como: sementes de papoula, fibra da polpa de coco, aveia triturada, argila aditivada, etc.

os agentes exfoliantes, quando usados , deverão ser incorporados por último e delicadamente misturados à massa que, nesse caso, deve ter um ponto de traço mais denso.

Realmente,são inúmeras as possibilidades de aditivos que nos fornecem maravilhosos e diferentes resultados.
Abaixo algumas opções de como fazer:
extratos vegetais - uso cosmético I
extratos vegetais - uso cosmético II
extratos vegetais - uso cosmético III
leites vegetais - uso cosmético
licores vegetais - uso cosmético
argila aditivada

Finalmente,depois de tudo bem misturado, colocamos a massa na forma.

Procure bater a base da forma na mesa ou apoio utilizado, já com a massa do sabão colocada, para retirar possíveis bolhas de ar e depois deixe descansar por 24 horas para desenformar e cortar no formato que preferir e que a forma escolhida permitir. :)

Esse detalhe das 24 horas pode variar conforme os ingredientes utilizados na receita que podem acelerar ou retardar a saponificação - a reação que transforma a massa elaborada em sabão - além da temperatura e umidade do ambiente, que também influenciam.

Enfim, com a experiência, acabamos sabendo o momento certo para desenformar e cortar o nosso sabão.                                  




1 de jan de 2012

Velas 100% vegetais





Estou iniciando minhas postagens nesse novo ano que já chegou  com....
LUZ!

Buscando integrar o aroma das plantas, presente no meu dia a dia, nesses momentos de esperança e renovação que sempre nos envolvem no iniciar de um novo ano, preparei velas 100% vegetais com aromas 100% naturais.
A coloração verde claro foi dada pelas próprias plantas escolhidas para macerar no mix de gorduras vegetais que foi utilizado, incluindo o pavio que recebeu um banho especial para intensificar ainda mais o aroma das plantas.
Devo confessar que o resultado me surpreedeu...A vela, mesmo antes de ser usada, já se tornava presente pelo seu suave aroma e, depois de acesa, emanando as vibrações positivas provenientes das propriedades energéticas das plantas utilizadas, tornou-se um maravilhoso ponto de luz,deixando o ambiente como gosto, delicadamente perfumado, com predominancia herbal e levemente amadeirada, enfim, uma verdadeira delícia!

detalhe do mix oleoso com as ervas

As plantas escolhidas foram as mesmas utilizadas para fazer o sabão espiritual,com propriedades que potencializam e aproximam as vibrações positivas que tanto precisamos para iniciarmos o ano com proteção e segurança, garantindo dias de paz, saúde e felicidade.
Um Feliz Ano para todos!